Cada vida é sensível ao amor ...

Subscribe:

domingo, 13 de março de 2016

DOÇURA

Doçura é domínio dos sentidos. Olhos que veem no fundo das coisas, ouvidos que escutam o coração das coisas, lábios que falam apenas a essência das coisas. 
Doçura é o resultado de uma longa jornada interior para o centro da vida e a capacidade de lá permanecer e observar.
Doçura é viver na linha da verdade, onde você vê o que está realmente acontecendo, longe da exibição das palavras. É uma coisa delicada, ligada à morte. Pois antes de morrer é apenas aquela linha que você vê, e não a vida, e subitamente você entende os "porquês" e os "o quês", e então você segue em frente. É muito especial estar vivo e feliz e também estar nesse ponto de morte, de onde você apenas vê o que é importante.
A doçura procura pelo bem nas coisas, pois no seu coração reside a convicção de que o bem existe em algum lugar em tudo, é só ter paciência para descobri-lo. Falsa doçura é dizer que algo é bom quando você não despendeu tempo suficiente para realmente descobrir o que é aquilo e então preguiçosamente escolhe algo óbvio sobre o que comentar. A verdadeira doçura alimenta-se apenas da realidade.
Doçura é a virtude dos muito jovens que não perderam seu otimismo e, algumas vezes, dos muito velhos, em cujas curtas vidas, cada momento é precioso e onde o passado tornou-se uma lista de memórias cuidadosamente escolhidas, que o tempo não pode levar.
Aquele que é realmente doce nunca pode ser vítima do tempo, pois doçura é a qualidade de uma pessoa cuja vida tocou a eternidade. (Anthea Church)



0 comentários:

Postar um comentário

Sensibilidade da vida ...

Cada vida é sensível ao amor. As expressões de vida mais inconscientes como as flores e as árvores compreendem se as amamos ou não ... Fada do Amor!!

Silfos

Silfos
"Eu vos saúdo, Silfos, Que constituís a representação do ar e dos ventos, Portadores das mensagens para toda a terra, Eu deposito em vós a minha imensa confiança, Pois meus pensamentos são sempre positivos, Voltados para o amor de todas as coisas existentes. Fazei de mim a imagem do esplendor da luz. Fazei deste pensamento, meu milagre! Mestres do ar, Eu vos saúdo fraternalmente." Fada do Amor!